Publicado em

Por quê do Opius Dei???

Por quê do Opius Dei???
Antes de tudo:
Não sou ateu.
Não, também não sou um fanático evangélico.
Não, não sou da Opus Dei. Nem da Agnus Dei, nem da Glorificum Dei, enfim, não dei pra ninguém.
Busco a mesma religião que a de Cristo na época que ele andava por aqui.
Putz… Não. Não sou judeu. Jesus não era judeu.

A frase “A religião é ópio do povo” do Marx todo mundo conhece. E aqui eu a uso não só no sentido de que a religião não passa de um ópio para abrandar a lida debaixo do sol, mas de que esse efeito é pleno e eterno e infinitamente amplo.
Também não quero abusar subliminarmente do ateísmo do Marx.

Vamo lá: “(…) (Marx) Queria com isto afirmar que esta existe para encobrir o verdadeiro estado das coisas numa sociedade, tornando os indivíduos mais receptivos ao controle social e exploração. Concomitantemente, afirmava que a religião era “a alma de um mundo sem alma”, querendo assim dizer que a experiência religiosa surgia como uma reação normal de busca de sentido numa realidade social alienante…” (Da magnífica Wikipedia, sobre ateísmo.http://pt.wikipedia.org/wiki/Ate%C3%ADsmo)
Até aí corretíssimo. A religião desde sempre é usada para controle social e para acobertar a aridez da realidade. Não seria uma espécie de droga liberada à medida que a demanda exige??? A droga do “Obedeça!!!” ???
Meu objetivo é aliar as objeções do ateísmo frente a devoção a algo incorpóreo com as objeções de um teísta frente a uma pessoa que não crê “em algo maior”…
Parece piada, mas funciona muito bem, aliar dois extremos, porque em um determinado ponto os opostos quando exaltados assemelham-se. Digamos que a ciência e a religião nunca irão se unir, mas sempre se complementarão, em uníssono, entre tapas e beijos.
E o Ópio do povo no sentido limitado de ser algo que “amaina” o homem. Religião não serve pra isso. “Religare” vem do latim ligar novamente, segundo o credo criacionista de voltar a falar diretamente com Deus, num tete-a-tete igual para igual. E aonde é que tá nesse contexto que praticar o religare vai me dar um emprego, ou um carro importado, ou uma mulher bem gostosa??? Não!!! Vai te dar é muita dor de cabeça, perseguições, frustrações e o diabo a quatro, porque o mundo se opões àqueles que praticam o religare.
Mais Marx (eu adoro esse cara):
“O sofrimento religioso é, a um único e mesmo tempo, a expressão do sofrimento real e um protesto contra o sofrimento real. A religião é o suspiro da criatura oprimida, o coração de um mundo sem coração e a alma de condi;cões desalmadas. É o ópio do povo.”
-Ah, então religião é uma forma de protestar…
É, naquelas… Nesse sentido seria protestar contra a realidade.
(Sim, esse blog é coisa de louco. Mais temas -aparentemente- polêmicos, preconceituosos, libidinosos, constrangedores, tântricos, ofensivos, futebolísticos e principalmente paradoxais adiante)
Protestar a realidade porque na concepção Cristã a humanidade já foi perfeita uma vez. Derepente (veja mais na incrível *alegoria* do começo do fim em Gênesis) a humanidade não pode mais gozar da perfeição e do tete-a-tete VIP com Deus porque violou por livre vontade uma diretriz que dava a liberdade de escolha entre saber o mal e viver bem o bem eterno.

Então houve uma época em que não morreríamos??? Sim!!! A gurizada não tinha pressa pra nada.
Então houve um tempo em que tudo era certinho e as abelhas não tinham ferrão e o Leão comia só capim??? É… Naquelas… Não é que nem os desenhos das Testemunhas de Jeová, mas era tudo certinho. Sim!!!
Então a fisica quântica pegava solta??? Sim!!! Ela e só ela e nada mais que ela!!! Uhú!!!
Bom, isso explica a insatisfação do homem em morrer. Em acabar. Em ter limitações.
O credo Cristão tenta explicar que as restrições são para que os usuários do sistema não tenham privilégios de admin só para detonar o kernel e acabar com o sistema – e nós junto – caso fosse o caso. Imagina se tu fosses capaz de alterar a realidade ao seu bel-prazer. Muito legal, né. E agora imagina duas pessoas-deus. E agora imagina seis bilhões de deuses imperfeitos e egoístas mudando tudo que tu mudou que alguém mudou que alguém mudou…

Perpetuar a imperfeição é perpetuar o mal e isso não rima com a concepção do Deus que é Todo-Amor.
E por isso e para tanto ele se fez carne, se matou por aqui entre os homens, deu seu sacrifício Dele mesmo para Ele mesmo em prol da humanidade, e ressussitou para mostrar que é possível, e para que pudéssemos ter a chance de um dia voltarmos a ser VIP com Deus.
Religare.
Nosso Opius Dei fica com a sucinta explicação. Que é uma chapação só ser Cristão numa terra onde o Demônio governa (veja Gênesis e me diz quem “Tem autoridade sobre o ar atmosférico e a terça parte caída dos anjos e etc”). É loucura total, suicídio, masoquismo, falta do que fazer etc seguir de fato o credo Bíblico.
E que é um efetivo psicotrópico ao usuário com bom senso.
Embriagar-se do Espírito Santo acho que seria um termo beeem louco pra definir a cátarse do Opius Dei.
Outra coisa seria racionalizar a devoção.

Sobre Juan

" If you do not enter the tiger's cave, you will not catch its cub."

2 Respostas para “Por quê do Opius Dei???

  1. joci ⋅

    lixo
    by joci gota
    asusaiuhsaiusahuiashuias

  2. Lucia ⋅

    Jesus naõ era judeu? Explique, por favor.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s